Conteúdo Extra

Amor que “doa” vida

Nisto conhecemos o amor: que Cristo deu a sua vida por nós; portanto, também nós devemos dar a nossa vida pelos irmãos.
Ora, se alguém possui recursos deste mundo e vê seu irmão passar necessidade, mas fecha o coração para essa pessoa, como pode permanecer nele o amor de Deus?
Filhinhos, não amemos de palavra, nem da boca para fora, mas de fato e de verdade.
1 João 3:16-18

Vamos começar o dia com com um exercício: pare pra pensar agora, querido jovem ou adolescente cristão, em tudo que o Senhor fez na sua vida. Começando pela salvação em Cristo e em como Ele tem demonstrado cuidado com você em todas as áreas da sua vida: direcionando o seu caminho, providenciando aquilo de que necessita e proporcionando bons relacionamentos que o ajudam a crescer espiritualmente. Não parece muita coisa? É porque realmente É MUITA COISA! E esse tanto de coisa que Ele fez e faz por nós, Ele também quer fazer por muito mais gente. Pessoas que você conhece e que você também não conhece. Como podemos sentir todo esse amor do Pai e da comunhão dos irmãos e não conseguir transbordar isso para o mundo? É o coração cheio de gratidão que consegue amar ao próximo. Você pode e deve fazer parte disso.

Lembre-se de que o amor do Pai é o que nos impulsiona a amar o próximo.

1 João 3:16 nos fala muito claramente que “Sabemos o que é o amor porque Jesus deu sua vida por nós. Portanto, também devemos dar nossa vida por nossos irmãos.” O versículo fala sobre “dar a vida”. Forte, não é? E pensar que temos dificuldade de abrir mão de um pouco do nosso tempo e recursos para o outro sendo que João nos diz para doar a nossa VIDA. Se você parar pra avaliar bem o peso dessa afirmação, a ajuda material é certamente um exemplo bem menos custoso do que o que o apóstolo João nos propõe.

Se continuarmos a leitura da passagem anterior em 1 Jo 3 leremos no verso 17 que “Se alguém tem recursos suficientes para viver bem e vê um irmão em necessidade, mas não mostra compaixão, como pode estar nele o amor de Deus?”.

Ou seja, o amor ao próximo mostra aos outros que fomos regenerados em Cristo.

John Stott no livro “Nosso silêncio culpado” diz que “Certamente nada impede o progresso do evangelho tanto quanto nossas próprias vidas cristãs inconsistentes.”

Falamos tanto sobre missões, testemunho e “ide”, mas já parou pra pensar até que ponto você, ao contrário de ajudar, na sua falta de demonstração de amor, tem impedido que Cristo chegue até os confins da terra? Temos vivido um testemunho que condiz com todos os aspectos das escrituras? Incluindo o que Jesus diz sobre demonstrar amor ao próximo por meio de nossas ações?

Continuando o texto bíblico temos: “Filhinhos, não nos limitemos a dizer que amamos uns aos outros; demonstremos a verdade por meio de nossas ações.” 1 Jo 3:18

O versículo 18 que acabamos de ler nos conduz a nossa última conclusão: amor é prática.

C.S. Lewis, no livro “Cristianismo Puro e Simples” diz: “Não perca tempo se preocupando se você ama o seu vizinho: aja como se o amasse. Assim que fazemos isso, descobrimos um dos grandes segredos [da vida]. Quando você começa a se comportar como se amasse alguém, vai acabar amando mesmo.” Sabem o que isso significa? O amor ao próximo é um decisão diária. E uma decisão prática! Que independe dos nossos sentimentos e que se alimenta do amor do próprio Pai. Então ficar conversando só sobre o amor ao próximo não é o suficiente, é isso que Lewis enfatiza quando fala ‘não perder tempo’. Não é que falar sobre não seja importante (até porque é o que estamos fazendo aqui), mas é porque você precisa experimentar!

Faça o que puder fazer. Se você não está praticando a doação de si ao outro há algum tempo, quando começar provavelmente será mais devagar. Isso é natural porque também envolve nossos próprios passos de fé. E aí, com o tempo, você dará passos de fé cada vez maiores, pois a verdade é que o que você tem não é seu. Somos apenas mordomos. Por isso podemos doar, pois o Senhor é quem providencia tudo o que temos. E, certeza, Ele não deixará nada nos faltar. Aquilo que você não terá é porque não precisa. Essa é a vida do cristão. É sobre isso que Salmos 23:1 nos fala.

Portanto, esse é um momento que o Senhor nos deu para repensar e corrigir. Uma nova oportunidade. O amor do Pai nos impulsiona a amar o próximo, o amor ao próximo mostra aos outros que fomos regenerados em Cristo e ele é principalmente prático. Não abra mão de fazer essa reflexão sobre como ou porque você tem demonstrado amor, mas principalmente, COMECE A SE DOAR.

Rayane Karen Noberto Correia
Pres. JUBAPE – PE